quinta-feira, 21 de março de 2013

Empatite incurável no Paulista

Ontem, contra o péssimo XV de Piracicaba, o Timão novamente mostrou aquela que vem sendo sua irritante marca registrada na disputa do Campeonato Paulista 2013: um ar blasé, absolutamente desinteressado pelo certame, típico de quem se acha capaz de resolver a partida a qualquer momento.

A absoluta falta de objetividade desse time remete, guardadas as devidas proporções, à chatinha da seleção espanhola na Copa 2010. Parece que o gol somente será válido se for entrando com bola e tudo. 

Chuta essa porra dessa bola, cacete! Alguém precisa assumir a responsa de finalizar a jogada, pois só pentear a criança não vai alterar o placar. 

Não parece óbvio, isso?! Pois é: para os comandados de Tite, não. 

Honrosa exceção feita a Emerson, é bem verdade. Tanto que seu gol saiu assim: num chute mascado, da meia-lua, daqueles para "experimentar o goleiro".

Fora que o Seu Adenor se equivocou na substituição com a qual almejava atear fogo na equipe: o ideal seria ter mantido Guerrero em campo, pois o irregular Romarinho 2013 não fazia boa partida.

A propósito, o Ricardo Taves decretou hoje em seu blog que Romarinho é jogador de segundo tempo, algo no qual eu sempre acreditei.

É deste mesmo blogueiro, aliás, a melhor frase do dia, em minha opinião: "se a fórmula do Paulista é ruim, a fórmula que o Corinthians utiliza para disputá-lo é ainda mais irritante".

Sétima colocação. E segue o enterro...

Um comentário :

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.