sábado, 27 de abril de 2013

Enfim, começa o Paulistão (será?)

Semana sem Timão na quarta-feira fica parecendo interminável. Ô, semaninha chata do cacete!


Para quem curte, ainda restou o consolo de cornetar o time da CBF e as partidas da Champions League. Porém, como não me ligo nem numa coisa, nem em outra...

Da última vez que torci, de verdade, pela Seleção Brasileira, creio que a camisa 8 ainda pertencia ao saudoso Doutor. Depois disso, reconheço que só paro diante da TV se for para secar a amarelinha; cheguei, mesmo, a comemorar o gol do Caniggia, em 1990 - após o quê, quase fui vítima de linchamento, diga-se.

Quanto ao futebol das Orópa, prefiro acreditar que todo esse súbito interesse das novas gerações por ele seja um dos maiores desserviços prestados à sociedade pelo console Playstation. 
Graças a ele, hoje em dia a molecada se diz torcedora de clubes como Barcelona ou Manchester United - o que, para mim, soa tão alienígena quanto o Halloween, pateticamente comemorado nas escolas particulares paulistas.

Mas, graças a Deus, o final de semana, enfim, chegou. E, com ele, o Coringão, em jogo decisivo contra a Macaca, válido pelas quartas do Paulistão.

Seu Adenor, embora declare abertamente que prioriza a Libertadores, já avisou que irá a campo amanhã com o que tem de melhor a sua disposição: Danilo Fernandes (juízo, hein, garoto!); Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos (acode, senhor!!); Ralf, Paulinho, Romarinho, Emerson e Danilo; Paolo Guerrero (siempre peligroso!).
Sim, senhores: Pato é a opção que Tite levará ao banco de reservas. Uma senhora opção, diga-se. 

A Ponte, que passou a semana ensaiando uma guerrinha psicológica, vem extremamente motivada para a decisão em partida única. Não nos iludamos: o adversário é forte, bem azeitado e pretende se valer de sua fanática torcida para transformar o Moisés Lucarelli num verdadeiro caldeirão.

Porém, se os comandados do Seu Adenor entrarem em campo com o mesmo espírito com que se doam às partidas da Cucaracha, igualando o adversário na garra e na disposição, naturalmente imporemos nossa inquestionável superioridade técnica. 
Nesse cenário, já disse aqui, a chance de não avançarmos à semifinal tende a zero. 

Portanto, senhores, chega de corpo mole e desse discursinho bambístico de tratar o regional por Paulistinha. Agora é decisão: temos de chegar atropelando os campineiros!

VAI CORINTHIANS!

* * * * *

Dia desses, esforçando-me para ler os nauseantes e desarticulados textos do contumaz anti-corinthiano Cosme Rímoli, lembrei-me de Truman Capote e sua definição a respeito da obra de Jack Kerouac: “isso não é escrever, é datilografar”.

* * * * *

3 comentários :

  1. Alguém podia apresentar as orações subordinadas ao Cosme Rimoli...

    ResponderExcluir
  2. 1- Eu brinco com meus alunos que Guarani de Sobral x Botafogo de João Pessoa é muito mais interessante que Barcelona x Real Madrid.........
    2- Eu não consigo ler os posts do Cosme. Tem anti que eu consigo, mas o do Risoli é impossível...
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.