sábado, 25 de maio de 2013

Pela sexta estrela (um post entre parênteses)

Hoje, às 21h (que horário, hein?!), daremos início à caminhada que nos conduzirá ao 6º título no Campeonato Brasileiro, igualando-nos a Flamengo(*) e Bambis - até que se prove o contrário, os maiores vencedores desta competição.

Preparemo-nos, pois serão 38 longas rodadas no - bastante contestado - formato por pontos corridos. E cabe, aqui, o primeiro parêntese do post. 
A esmagadora maioria dos blogueiros cuja opinião respeito é contrária à manutenção deste formato, tido por "sonolento". Compreendo as críticas e até concordo com boa parte dos argumentos; porém, continuo convencido de que, para o nacional, trata-se do melhor sistema: senão o mais emocionante, ao menos, o mais justo. 
Acredito que, ao exigir das equipes a mesma dedicação e intensidade desde a primeira até a última rodada,  o modelo, salvo raríssimas exceções, privilegia, sim, o melhor e mais regular time do campeonato. Fecha parêntese.

Para receber o Botafogo, atual campeão carioca, Tite mandará ao gramado do Paulo Machado de Carvalho praticamente os mesmos titulares que, domingo passado, conquistaram o 27º Paulistão. A exceção ficará por conta de Alessandro, sem condição de jogo - com o que, a equipe contará com o bem-vindo reforço de Edenilson.

Pato, portanto, apesar do clamor quase unânime, segue no banco. 

Eis, aí, um caso que chega a ser impressionante: em entrevista recente, até Paolo Guerrero - quebrando o código de ética da boleirada - afirmou que prefere jogar com o camisa 7 ao seu lado; porém, sabe Deus por que, o Seu Adenor segue optando pela (inócua) correria de Emerson Sheik. 
Só nos resta acreditar que ele realmente saiba o que está fazendo...

Segundo parêntese - deve saber: em pesquisa encomendada pelo Globoesporte.com, Tite, com larga vantagem, acaba de ser eleito pelos atletas da Série A como o melhor técnico do Brasil; o chefe "justo e meritocrata" que quase todos gostariam de ter.
Mesma pesquisa, aliás, que, pela última vez, trouxe o obsoleto Ex-tádio do Jd. Leonor como o preferido pelos jogadores - já que, a partir do ano que vem, com o ultramoderno caldeirão de Itaquera em pleno funcionamento, o elefante branco da Vila Sônia deverá, finalmente, encontrar sua verdadeira vocação: o esquecimento. Fecha parêntese.

Voltando ao jogo de hoje, fica o registro de que, graças à precoce remoção da Copa Libertadores, o Timão, pela segunda vez nos últimos quatro anos, iniciará o Campeonato Brasileiro com foco total na competição, desde a primeira rodada.
Da última vez que isso aconteceu, levantamos o taça.

Atual campeão regional, continental e mundial, estou certo de que, também para a conquista do nacional deste ano, cabe ao Corinthians o favoritismo.

É atropelar o Botafogo com autoridade, para, já de início, mostrar aos outros a que viemos. Tremei-vos, infiéis: o Timão, por mais uma vez em sua gloriosa história, parte em busca de um caneco!

VAI CORINTHIANS!!


(*) Este blog reconhece o C.R. Flamengo como legítimo Campeão Brasileiro de 1987

2 comentários :

  1. Eu só não estou gostando muita desta idéia de que qualquer coisa que não seja o título pode ser considerada como fracasso. Não é por ai. Temos um grande time. Temos uma puta estrutura. Temos uma tranquilidade jamais vista na história do clube. No entanto, não podemos esquecer que tem alguns times que podem atrapalhar nossa caminhada. Tem aquele desejo danado de facilitar para os outros para ferrar o Timão. Se bem que tem um time ai que não vai poder fazer isto este ano. O Corinthians é um dos favoritos. Mas se entrar nesta de que já ganhou, o negócio complica.
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo: o importante é estar sempre entre os melhores, Múcio; sempre brigando pelo título. E isso nós vimos fazendo todos os anos, desde 2009.

      A taça é mera conseqüência...

      Excluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.