sábado, 11 de maio de 2013

Pelo 27º caneco

Após uma semana cheia trabalhando no CT Joaquim Grava, enfim, chega o momento do Timão ir a campo novamente. 
E, desta vez, a coisa, finalmente, é séria: trata-se de buscar o 27º título do - lamentavelmente combalido - Paulistão, ampliando nossa supremacia neste que, até pouco menos de duas décadas, ainda era um dos  mais competitivos e tradicionais campeonatos do mundo.

Portanto, amanhã, Dia das Mães, precisaremos abdicar da sobremesa no tradicional almoço da mamma se quisermos chegar a tempo ao Pacaembu - garantindo, assim, a lotação máxima do estádio; transformando-o, como de costume, num verdadeiro inferno para o adversário.

Falando nele, convém lembrar que os Pequeninos da Vila têm se demonstrado, desde o início da disputa do regional, mais motivados a conquistá-lo do que nós. Alijados da disputa da Libertadores 2013, para a qual sequer se classificaram, dirigentes e torcedores do clube da baixada, naturalmente, viram-se na necessidade de valorizar as competições que lhe restaram neste primeiro semestre.
Além do mais, existe, pelas bandas do Boqueirão, o sonho de conquistar o tetracampeonato Paulistaigualando o feito alcançado pelo Club Athletico Paulistano entre 1916 e 1919. De quebra, ainda poderiam, de certa forma, ousar desafiar nossa supremacia regional, senão em total de títulos, ao menos em número de conquistas seqüênciais - visto que, atualmente, ambos detêm, no máximo, o tricampeonato, conquistado três vezes por cada um.

Neste momento, porém, o único "detalhe" que os separa do sonho dourado do tetra atende justamente pelo nome de Sport Club Corinthians Paulista. Portanto, lambarizada, lamento por informar, mas...


O Timão, por sua vez, desde o início da temporada, tem na defesa do título continental sua prioridade absoluta para o primeiro semestre de 2013. Isso é fato; algo do conhecimento, até mesmo, do Reino Mineral (como diria o grande Mino Carta), visto que pública e despudoradamente assumido por jogadores e comissão técnica.
Pessoalmente, compreendo e, no fundo, até concordo com tal priorização. Porém, sem entrar no mérito da polêmica sobre a supervalorização da Cucaracha Cup em detrimento dos campeonatos regionais e, mesmo, nacionais (cada vez mais, reduzidos a meros trampolins classificatórios para a copa continental), convém jamais perdermos de vista que, em final de campeonato, não tem dessa conversa mole, não!

Em se tratando de disputa de título, jogando diante de um rival que, embora menor que os demais integrantes do chamado trio de ferro, ao menos se demonstra historicamente mais valoroso que seus pares de fora da capital, é absolutamente inadmissível que se cogite falar em "poupada", em "tirar o pé", em "se preservar para o jogo do meio de semana", etc.


E, com isso, o Coringão irá a campo amanhã com aquilo que Seu Adenor considera ter de melhor à sua disposição no momento. Segredo algum, portanto: trata-se do mesmo time que iniciou as duas últimas partidas - contra Boca Jrs. e Glamourosas, respectivamente.
E é justamente aí que reside nossa preocupação...

É fato que, exceto pelas partidas disputadas em casa contra Millonarios e Tijuana (além de um ou outro lampejo isolado), o Corinthians ainda não conseguiu encaixar em 2013. E, a julgar, sobretudo, pelo futebol (sic) demonstrado nos dois últimos confrontos, devemos reconhecer que não temos feito por merecer os títulos em disputa.
Desde que Renato Augusto se contundiu, Tite tem insistido em compor o time com Emerson e Romarinho auxiliando Danilo na criação - com o que, temos perdido nossa aclamada consistência no meio-campo, praticamente oferecendo o domínio desse setor aos adversários. Acredito que, para corrigir esse problema, o ideal seria entrarmos com Douglas ou, mesmo, Edenilson no lugar de Romarinho.

Claro que o fato de Paulinho - aparentemente, perdido em meio ao sonho de se transformar no "novo Falcão" - ter despencado de produção em 2013 também contribuiu, e muito, para esse cenário. Pelo que vem apresentando, creio que o camisa 8 já deveria, algumas rodadas atrás, ter cedido seu lugar a Guilherme. 
Quem sabe, vendo a partida do banco, Paulinho não pudesse refletir um pouco melhor sobre suas prioridades, não?

Quanto a Emerson, com todo o respeito por sua folha de serviços prestados e sua - diria, até, comovente - dedicação para se manter entre os 11 titulares de Tite, é absolutamente descabido que um cara com a gritante exuberância técnica de Alexandre Pato permaneça no banco de reservas.

De qualquer forma, não foram estas as opções da comissão técnica  - que entendeu ser necessária, apenas, a centralização de Danilo no famoso 4-2-3-1 do Seu Adenor. A esta altura do campeonato, aliás, devo concordar que qualquer mudança mais drástica poderia desestruturar a equipe; a mexida deveria ter ocorrido algumas rodadas atrás.

É assim que partiremos para a conquista de mais um título, então.

Contudo, com todos os problemas apontados, insisto e refaço a pergunta: o Coringão pode não estar jogando nada, mas, e os Pequeninos, acaso estão?

Portanto, estou certo de que sairemos vitoriosos do Pacaembu amanhã. Com todos os problemas apontados, ainda assim, sou mais Corinthians! 
Time por time, temos mais.

Além do mais, é imprescindível que façamos o resultado em casa para que, no próximo domingo, possamos ter o cronômetro a nosso favor na Vila do Disjuntor (rima não intencional).

Acredito em 2 a 0 para nós, gols de Guerrero e Danilo.

VAI CORINTHIANS!!

* * * * *

Assunto da semana, acredito que Jorge Henrique tenha, enfim, encerrado seu ciclo no Timão. Uma pena, pois tratava-se de um excelente defensor.

É a marvada, lamentavelmente, fazendo mais uma vítima no futebol...

2 comentários :

  1. A maré tá cheia, tá tá tá tá tá...

    Cheia de sereia

    E o Timão querendo golear

    Caiu na rede é peixe lê lê á

    O quê o quê

    O timão vai golear

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.