quarta-feira, 8 de maio de 2013

Será que já corrigiu a miopia?

Enfim, definido o trio de arbitragem para a primeira partida válida pela final do Paulistão 2013, contra os Pequeninos. Wilson Luís Seneme apitará o jogo, auxiliado por Anderson José de Moraes Coelho e - atenção para este nome - Emerson Augusto de Carvalho.

Emerson Augusto de Carvalho. Ninguém menos que o responsável por aquilo que, seguramente, foi uma das decisões mais bizarras da história do futebol brasileiro:

Impedimento doloso triplamente qualificado: com que objetivo, afinal?

Duvido que o meliante volte a dar bandeira desse jeito novamente (trocadilho péssimo), mas não custa nada ficar de olho...

10 comentários :

  1. Zé Carlos e amigos, sermos prejudicados lá no Balneário já faz parte da história. Em 2005 -naquele jogo anulado houve dois penaltis no Jô não marcados pelo larapio do apito. Em 2008 o juiz validou um gol irregular do Manjubinha e anulou um legal do Timão. Mesmo assim, nossos jogadores nunca tiveram peripaques e xiliques como tiveram o Clodoaldo (78) e o Giovani (05). Com relação a esse ai, não acredito que ele tenha coragem de repetir a proeza no Pacaembu.
    Abçs.
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
  2. Histórica! A cena do chilique do "Messias" em 2005 é, para mim, equivalente ao Rogério Cênico de joelhos.
    Também não acredito em palhaçada no Pacaembu, Múcio. Foi só para "refrescar a memória"...

    ResponderExcluir
  3. Esse bandeira filha da puta. Se vacila vo enfia um robalo no seu cú

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKK
      E contra o sentido das escamas, de preferência....

      Excluir
  4. Naquele monento mágico proporcionado pelo Giovanni eu achei que ele ia pegar a bola, falar que a mãe estava chamando e ir embora. Mais um que não aguentou o barulho da Fiel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cara de mimadinho dele foi foda! Pior que a lambarizada considerou aquele vexame um "ato de heroísmo". Vai entender...

      Excluir
  5. Acredito que, dentre toda a verborragia anti-corinthiana que lê por aí, a mais antiga e constante, sem dúvida, é o suposto favorecimento histórico...

    E na minha opinião a ladainha sempre vem à tona por dois motivos: primeiro, quando o time que você mais odeia vence, a saída mais fácil para qualquer mente infantil é culpar a arbitragem; segundo, é realmente raro ver por aí corinthianos que façam o mesmo chororô promovido por outras torcidas quando ocorre algum erro contra o Timão.

    Claro que reclamações ocorrem, mas dificilmente a reação da torcida, jogadores ou diretoria se compara aos chiliques de outros times, e muito menos a repercussão costuma atravessar anos. Por pior que seja a sensação quando isso ocorre, o óbvio para nós é que o erro rola nos dois lados, e ficar usando isso pra deslegitimar títulos dos outros é um ato patético e desesperado.

    Vontade nunca faltou, mas é justamente pra evitar que isso soe como birra de criancinha mimada (e também por falta de tempo) que eu nunca bolei nenhum tipo de compilação mostrando os assaltos contra o Timão ao logo das décadas. Mas sei não... com o nível de perseguição que se atingiu hoje em dia, um material do tipo seria útil pra desmistificar essa idéia de que só erram a nosso favor...

    Afinal, nessas horas ninguém costuma lembrar da vergonhosa final do Paulista 93; do Rincón expulso contra o Cruzeiro na Copa do Brasil 98; do pênalti não marcado no Edílson contra a porcada na Libertadores 99; do Marcos se adiantando em 2000; de todos os erros a favor em jogos do Inter no Brasileiro 2005; o roubo no mesmo ano no jogo final contra o Goiás; nos penaltis defendidos pelo Clemer no rebaixamento em 2007; no pênalti no Acosta contra o Sport em 2008; e por aí vai...

    ResponderExcluir
  6. No CB de 98, na segunda partida, o juizão anulou um gol legítimo do Rincón. O jogo terminou 1x1. Com 2x1, o Corinthians ia para o terceiro jogo podendo até perder por um gol de diferença que era campeão. No ano seguinte, na primeira partida, o Oscar Roberto de Godoi ignorou dois penaltis a favor do Timão. Um deles no Edilson. O jogo foi 3x2 pro Galo. O seu Milton Fezes não lembra disso, mas vive falando do penalti cometido pelo Índio, como se tal penalti fosse evitar a derrota do Atlético Mineiro. Naquele dia o Timão venceu por 2x0,mas foi tão superior que o advesário escapou de tomar uma goleada. Na Cucaracha de 1999, o Paulo Cesar de Olveira deixou de dar um penalti no Edilson e um outro no Fernando Baiano. Em 2007, o Corinthians teve a seu favor não penalti não marcado no jogo contra o Atlético Paranaense (2x2) e um gol legítimo do Finazzi anulado diante do Atlético Mineiro (0x0). Em 2005, o larápio do apito marcou um penalti pra lá de duvidoso a favor do Vila Sonia permitindo que este vencesse o clássico por 3x2. E os antis ainda têm a pachorra de dizerem que o tal apitador estava economendado para nos favorecer.
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. E, mesmo com tantos argumentos, não se vê nenhum de nós chorando as pitangas eternamente, né, Múcio?
      As lembranças são providenciais, contudo, porque já temos certeza de que, perdendo a final, eles INVARIAVELMENTE atribuirão o resultado à arbitragem. Convém que, de antemão, já refresquem a memória, portanto...

      Excluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.