segunda-feira, 20 de maio de 2013

Tempos de Guerra

A fim de driblar o enorme delay de minha TV por assinatura (que, em alguns momentos, chega a intermináveis 20 segundos), ontem optei por substituir o áudio da televisão pelo da Rádio Bandeirantes. 

Jesus amado: eu não tinha noção de que o anti-corinthianismo do Sr. José Silvério havia chegado a níveis tão alarmantes! O locutor simplesmente passou a partida inteira se esmerando na busca por pênaltis não marcados ou lances em que, supostamente, o homem do apito favoreceria o Corinthians.

E o pior: fazia-o com extremo cinismo, forçando a situação até o limite do patético - nitidamente, em resposta à indignação corinthiana diante daquela que, para mim, está entre as mais mal intencionadas arbitragens da história
Tratava-se, digamos, de "pôr o corinthiano em seu devido lugar"; de nos convencer - ou de se convencer? - de que os graves fatos ocorridos na última quarta são, na verdade, tão corriqueiros quanto qualquer outro erro de interpretação que a juizada, diariamente, comete por aí.

Postura padrão, diga-se. Dias antes (mais precisamente, na quinta-feira pós-remoção), o Sr. José Trajano, verdadeiro decano do jornalismo canalha, homem forte por detrás da Emissora São-Paulina de Notícias, mostrou-se inconformado com a ostensiva declaração de amor dada pela Fiel Torcida após a eliminação produzida por Carlos Amarilla.
Em seu programa matinal - que, por sinal, mais se assemelha a uma conversinha de lavadeiras - fez questão  de classificar a belíssima homenagem das arquibancadas como "soberba e prepotência da torcida alvinegra, como se o Corinthians fosse maior do que tudo".

Não contente, e tendo recebido uma enxurrada de e-mails questionando se "agressões e quebra-quebra o satisfariam", Trajano voltou ao tema na manhã seguinte. Desta vez, após reafirmar seu pacifismo e dizer que, evidentemente, prefere a festa à violência, o rabugento jornalista partiu pelo caminho do pseudo-intelectualismo vulgar: "muitas vezes, o silêncio, uma lágrima sentida, têm mais significado do que a festa; afinal, a tragédia faz parte de nossas vidas - caso contrário, não leríamos Shakespeare".

Ora, Trajano, antes de mais nada, faça-me um favor: vá tomar no meio do seu rabo, ok?! Quer dizer que o "nobre jornalista" já não consegue nem mesmo disfarçar sua frustração por ter sido privado de tão sonhado e delicioso espetáculo: o de ver a Fiel às lágrimas, agarrada ao alambrado? Sério mesmo que é isso??
Isso é que é profissionalismo, hein?!

Mas a cereja do bolo estava guardada para hoje e viria do site da mesma emissora comandada por Trajano. Foi de lá que um de seus meninos-prodígio - o mal disfarçado Flamenguista e indisfarçado anti-corinthiano Mauro Cézar Pereira - soltou essa verdadeira pérola do mau-caratismo.
Essa eu me reservarei o direito de não comentar. Até porque, se escrevesse exatamente o que penso, o blog teria que ser reclassificado como de conteúdo adulto.

Sem dúvida alguma, vivemos tempos de guerra, senhores. Hoje, mais do que nunca, somos nós contra eles e todos eles contra nós!

Portanto, não alimentemos abutres!! Lição aprendida: da próxima vez que quiser substituir o áudio da TV pela transmissão radiofônica, optarei pela Rádio Coringão.

21 comentários :

  1. Eu só li o título do post desse almofadinha da ESPN e uns comentários. Teve um que deu um tremendo soco na boca do estômago do blogueiro ao lembrar o assalto que sofreu o Atlético Mineiro em 81 diante do Flamengo - time pelo qual torce este cretino. Mas como todo bossal-fake ele ignora este fato e todo favorecmento dado ao clube pelo qual torce. Diante disso, não tem moral nenhuma para lançar dúvidas sobre o time que incomoda. Pode ser que o tempo tenha apagado a minha memória.... mas antigamente, os caras torciam contra, as tinham um pouco mais de dignidade, um pouco mais de ilustração.. Os jornalistas de outrora eram mais capacitados.. Eram f.d.ps com o seu anticorinthianismo, mas eram de um nível melhor do que os atuais. Pode ser que eu seja saudosista, mas........
    (Múcio Rodolfo)
    ah.... ontem fiquei abismado diante da demostração da ignorância do Chico Lang em relação a nossa história gloriosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa do Chico Lang eu li num comentário seu lá no Paulo Monteiro, acho... às vezes, fico me perguntando se esse cara realmente é corinthiano, Múcio.

      Excluir
  2. Tentei acompanhar o raciocínio desse senhor, mas nao fui capaz... Ele nem precisava levar em conta que tratava-se da torcida mais apaixonada do pais, que assumidamente põe o time acima de qualquer conquista; ou mesmo se lembrar que o time em questão havia conquistado em seqüência Brasileiro, Libertadores e Mundial, e que agradecer o esforço desse elenco era a reação mais natural; bastava ele se tocar que qualquer torcedor (com algumas exceções, como os bambis), acredita, sim, que seu time é maior que qualquer campeonato... Obvio! Mas claro que a dor de cotovelo é maior do que qualquer apreço a lógica...

    Quanto ao Ranzinza Jr., realmente, acho que ele ta certo, passou do ponto de falar do assunto... Afinal, que absurdo o Mario Gobbi "voltar ao assunto" depois de tanto tempo, mesmo com todos os jornalistas perguntando sobre isso... Deveria ter aprendido com a torcida do Santos, que superou a final de 95 rapidinho... Ou a torcida da Portuguesa que logo esqueceu o Castrilli... Ou com o Brasil inteiro, que quase nunca menciona o tal penalti no Tinga em 2005...

    ResponderExcluir
  3. Zé Carlos na boa, falar que o Mauro Cezar é um flamenguista disfarçado tdo bem, mas hora nenhuma ele se mostra anti-corintiano. Tenho que concordar com ele no ultimo artigo, o choro pela queda na libertadores continuou a mil mesmo depois de conseguir outro título. Acho que já virou nóia essa coisa sentimento em relação ao "anti-corintianismo". Ninguém pode dizer nada que não seja agradável a torcida que já é taxado de "anti", isso pra mim é uma tremenda imaturidade. Concordo em relação ao Trajano, que foi muito infeliz, mas não acho que isso o torna "anti" ou nada assim, na minha opinião ele só é meio ruim das idéias mesmo. A torcida tem que parar com essa mania de perseguição e continuar fazendo o belo trabalho que faz dentro de campo. Espero que esse comentário traga algum benefício...
    PS.: Amarília lixo, tinha q ser aposentado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, vá!...

      http://migre.me/eENiW

      http://migre.me/eENkg

      http://migre.me/eENnb

      http://migre.me/eENpa

      Desculpe-me, amigo. Respeito sua opinião, mas, se esse cara aí não for, então o Milton Neves também não é.

      Excluir
  4. esse Trajano sempre se escondeu atras do america-rj mas não consegue disfarçar q é um tricoléte enrustido.

    isto posto acho que temos que lançar uma campanha pra que o Corinthians processe a UOL e Foia por perdas e danos e difamação a respeito da Arena Corinthians.

    veja a manchete escrota: "Cervejaria se assusta com valor e desiste de dar nome ao Itaquerão".

    não sou advogado mas acho que é um caso claro de difamação, e poderia ser impetrado pedido de indenização por perdas e danos, caso o naming right não seja negociado por pelo menos 400 milhões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que não exista campo para um pedido de indenização, amigo, mas concordo que eles bem que mereciam...

      Excluir
  5. Prezado João Luis. Eu gostei tanto do final do seu comentário que peço licença para difundí-la em outras "praias" Abçs.
    Múcio Rodolfo

    ResponderExcluir
  6. Eu não sei se vou causar polêmica, mas vou ter que contrariar parte da nação. Cara, com todo respeito, com todo respeito, o Mauro não disse nada demais. Pode ser que alguém discorde, porém, ele foi muito sensato.

    Já o Trajano colocou exatamente o que eu penso. Quer dizer, se eu sou corintiano e estou ali, naquele momento difícil, de muita dor, eu iria ficar em um silêncio sepulcral. Eu não entendi a reação da torcida do Corinthians depois do jogo contra o Boca. Tipo: tá ruim, mas tá bom? Lembre do Maracanazo, do silêncio de dezenas de milhares de pessoas que entupiram o Maraca em 50, na Copa do Mundo. O silêncio realmente representa a dor. Ninguém ri em um velório de quem se tem apreço. Dependendo do ângulo em que se é observada, a reação corintiana parece até orgulhosa mesmo.

    Quantas e quantas derrotas eu não passei sozinho, calado, triste; óbvio que todas foram superadas. Este é motivo que me faz acompanhar o futebol: emoção, cara. Emoção vale mais do que um ingresso ou assinatura de TV.

    Você escreve bacana, a despeito do fanatismo exagerado e pulsante (risos). Passa no meu blog, Fintas para o Gol. Espero que eu não tenha ofendido a você e à nação corintiana. Eu escrevo e falo o que penso, não posso agradar a todos. :D

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro Caldas, toda e qualquer opinião é sempre muito bem-vinda aqui, cara! Fique à vontade sempre que quiser palpitar neste espaço, ok?!

      Tô dando uma conferida no seu blog, aqui, e ele também me parece bem interessante - a despeito da imparcialidade excessiva. rs

      Valeu!!

      Excluir
    2. Pedro, também respeito sua opinião, mas acho que cada um reage de um jeito, nao? O comentário do Trajano, alem de oportunista por usar a velha tática do ser do contra para aparecer, me pareceu, ele sim, extremamente arrogante por querer ditar a postura que cada um deve ter nesse tipo de situação.

      Nao duvido que também houvesse corintianos mais pensativos ao final do jogo, e duvido que alguém tenha sido forcado a cantar o hino, ou bater palmas. Mas o provável é que mesmo pessoas que costumam reagir da forma como você descreveu tenha sido levado pela emoção do momento e agido igual. Sem violência, sem arrogância, de forma espontânea e sincera... Qual o mal nisso?

      Alem disso, acredito haver uma outra falha na argumentação do Trajano. Nao houve ali comemoração (e por isso a comparação com risadas no velório também nao cabe), e sim homenagem, reconhecimento, e acima de tudo, demonstração de amor ao clube.

      Excluir
    3. Acredito que a postura da torcida foi a mais correta, pois o time nao classificou por erros na arbitrágem, e nao pq fez corpo mole ou tenha jogado mal, acho que a torcida reconheceu a garra e a postura da equipe.

      abraço muito bom o blog

      Excluir
  7. E ai brother, certo? Racho o bico com seus posts e acesso diariamente para ver sua opinião. Recentemente 2 dias atrás criei um blog http://supremaciacorinthiana.blogspot.com.br/ e gostaria de saber se vc pode me ajudar. Quando vc tiver um tempinho por favor dê uma olhada e emita sua opinião e gostaria de saber como faço pra colocar um link do seu blog no meu blog.?
    Forte Abraço
    Reinaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, brô! Tudo na paz?

      Então, Reinaldo, achei muito bacana a proposta do seu blog - que é meio que oposta (e, talvez, complementar) à do meu.

      Quantos às dicas, não sou nenhum web designer, apenas um fuçador paciente. Mande um e-mail que, se estiver ao meu alcance, te ajudo, sim: jihadcorinthiana@yahoo.com.br.

      Boa sorte com seu blog, cara!

      Abraço!!

      Excluir
  8. MUITO LEGAL SEU BLOG

    ResponderExcluir
  9. A gente sabe muito bem distinguir os jornalistas que eventualmente criticam ao Corintians daqueles que fazem isso uma profissão de fé. Esse almofadinha da empresa bambi de notícias é um deles. Dia desses eu estava vendo uma reação indignada do PVC após um penalti marcado sobre o Ronaldo. Foi em 2009 na partida contra o Atético-Pr. "É o quarto penalti marcado a favor do Corinthians. É o quarto penalti inexistente". Demonstração de raivinha incompatível com alguém que deve agir profissionalmente. Será que o PVC citou os erros cometidos a favor do Vila Sonia em 2007 e 2008, ano em que se consagraram como campeões brasileiros?
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, Múcio! "Raivinha" foi ótimo, hahaha!

      Foda é que PVC e Mauro são meio que cultuados pela molecada que acompanha ESPN... puta desserviço!

      Excluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.