segunda-feira, 8 de julho de 2013

Bahia 0 x 2 camisas azuis: sai, zica!

Demorou um tempo até que eu ajustasse a visão. Sim: o Corinthians, diziam, estava em campo.

Sei que, hoje, a parcela da torcida para a qual o Timão se resume a um CNPJ não é pequena; mas acontece que esta sempre foi uma das bandeiras deste blog (como se ele fosse muito tradicional, aliás...), de modo que não me posso furtar a este rápido comentário, travestido de dúvida: que PORRA de uniforme é esse?!? Alguém pode me explicar, afinal??

A propósito, arrependo-me amargamente de, anos atrás - ressentido pela miséria do rebaixamento, umbuído de um confuso sentimento de unidade, de cega solidariedade, imposto pela desonra recente - haver comprado duas camisas ditas "alternativas" do Coringão: a lilás (bonita, reconheço, mas especialmente malígna, porque anunciadora do inferno que estaria por vir), e a seguinte, a la Inter de Milão - esta, sim, roxa, porém feinha que dói. 
Arrependo-me porque não convém, em hipótese alguma, estimular essa prática.

Corinthians em campo é algo que precisa atender a certos requisitos. "Raça acima de tudo", por exemplo, é um deles. O fardamento alvinegro, não há dúvidas, é outro. Os homens que entram em campo pelo Timão o fazem justamente em defesa de nossa história, tão dignamente representada em nossas cores e nosso escudo. Como pisar o gramado vestindo algo que não o branco e o preto, neste caso?

Sem falar que azul é a cor da Casa de Savóia, né?! Na boa: totalmente inaceitável! 

Contudo, mesmo descontada a inconformidade por haverem lançado a nódoa da ignomínia sobre nosso sacrossanto manto (hahaha!), resta, ainda, uma pergunta: qual a eficácia, sob o ponto de vista estritamente mercadológico, de se associar, tão fortemente, uma logomarca a um episódio do qual ela saiu derrotada por 2 a 0?

Fica a dúvida...

Sobre o jogo, em si, novidade quase alguma: o Corinthians demonstrou a costumeira sonolência, não jogou bem, mas, amparado no fato de ser, hoje, o elenco mais qualificado do Brasil, venceu por 2 a 0. Trouxemos para casa os três pontos e isso é o que importa.

Ademais, Pato desencantou novamente e espantou a zica recente. No primeiro gol, após ótimo lançamento de Guilherme (que, devagar, vai se sentindo cada vez mais a vontade), demonstrou uma categoria absurda para matar no peito e marcar como um autêntico camisa 9. No segundo, aproveitou a barbeiragem da zaga e bateu de forma instintiva, com violência, como faz um exímio finalizador.

O rapaz é diferenciado, isso é fato. Resta, apenas, a torcida para que engate uma seqüência de boas partidas e, finalmente, abandone de vez o status de eterna promessa - com o qual, infelizmente, parece já ter se conformado. O futebol brasileiro não precisa de mais um Dodô.

Enfim, o fato é que subimos mais um tanto na tabela. Que venha o Galo, agora. Estarei lá, no Paca véio de guerra...

* * * * *

De que adianta ter o melhor CT, o (futuro) estádio mais moderno, ônibus com sistema de cromoterapia e o caralho a quatro quando se peca justamente no mais prosaico?

Afinal, que falta que faz uma boa benzedeira, hein, Renato Augusto??


* * * * *

E eis que, com a contusão de Renato Augusto, ficamos apenas com Ibson para, improvisado, organizar as jogadas ao longo das próximas semanas. Ou melhor: não - pois o retorno de Alessandro aos gramados liberará Edenilson como mais uma opção para o Seu Adenor compor o meio-campo.

Sai zica!

14 comentários :

  1. Sou a favor de uma camisa 3 que não fuja do preto e branco.
    E olha que dá pra fazer uns mantos da hora!
    Porque não relembrarmos os primeiros uniformes e os antigos brasões?
    Lembro de uma camisa que foi feita relembrando 1910, até a Pepsi era com a logo antiga.

    O time melhorou muito depois da parada mas ainda pode jogar uns 60% a mais.
    Acho que nossas piores partidas do ano ficaram para trás e vamos crescer muito daqui pra frente.
    Gostei do posicionamento do Pato e do Guerrero.
    O Guilherme é excelente mas não tem nada a ver com o Paulinho e é injusto ficar fazendo comparações.
    O Ibson é mediano, mas num time acertado vai bem.
    Acho que Sheik deu um migué pra não estourar o limite de jogos para transferência, e deu mole pro Pato.
    Esse Souza é um filho da puta!
    Tem que levar o RA na biquinha do PSJ e dá uns 3 caldos nele para ver se sai essa zica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uia! Esse suposto migué do Sheik faz todo o sentido!!

      Concordo: nada contra terceiras camisas, desde que respeitem as tradições do clube.

      Excluir
  2. 1- Quando cheguei na casa da minha mãe o jogo já tinha começado. Demorei um pouco para perceber que o de azul era o Corinthians e não o Bahia. Este tem a cor azul no uniforme. Tem certas referências que até fazem sentido. A Gre-ná remetia um momento bacana da nossa história, uma homenagem a um grande time que pereceu num trágico acidente. Esta camisa azul remete a um jogo no qual fomos derrotados. Lembrar derrotas não é muito legal.
    2- Eu não tenho nada contra a italianada, apesar do Chiqueirense. Mesmo porque em nossas origens tinha muitos italianos e muitos continuaram com a gente.
    3- Com relação ao jogo, como já disse em outras pragas valeu pelos três pontos que nos coloca na cola dos líderes (apenas 4 pontos atrás do Botafogo), foi bom pelo reencontro do Pato com as redes, mas foi ruim por causa da contusão do Renato Augusto que somada às contusões de Danilo e Douglas fodeu geral. Pelo que tenho lido no noticiário,o departamento médico está buscando meios de abreviar a permanência do jogador no DM. Não sei se isto é o mais recomendável. As vezes a emenda sai pior do que o soneto.
    4- Vamos de Ibson, por enquanto. Num time organizado -como frisou o Alessandro Costa- o mais ou menos pode ajudar. Tinha o Giovani, mas este foi emprestado para a Ponte. Estão falando na contratação do Juninho Pernambucano. Tá meio veinho, mas se a gente pensar que o tal de Seedorf também está e vem garantindo a rapadura no time dele, pode ser uma boa a sua contratação.
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita! Onde você viu essa do Juninho Pernambucano, Múcio?

      Excluir
    2. O Milton Fezes que twitou e repercutiu no face... Estão dizendo que a única coisa que está pegando é a duração do tempo de contrato.
      (Múcio Rodolfo)

      Excluir
    3. Não sei se tenho opinião formada sobre o assunto. rs

      Ele tá jogando onde, atualmente, "nazarábia"?? Será que aceita ser a 2ª ou 3ª opção no banco sem criar problemas no grupo? E o salário, será compatível com a condição de reserva?

      A qualidade é inquestionável, mas... sei não...

      Excluir
    4. Realmente, lamentável essas camisas coloridas que o Timão vem lançando. Não quero nem de graça!!

      Corinthians é preto e branco!!!

      Denilson

      Excluir
    5. Fundamentalismo alvinegro, Denilson!!

      Excluir
  3. O uniforme é preto é branco, porra. O resto é "penteadeira de puta".

    O time está bem, o problema são as cacetadas que tomamos em campo e ninguém reclama. Lembro de um carniceiro uruguaio que jogava no time da vila sônia; rolou até coletiva pra justificar que ele não era "violento", enquanto nós apanhamos de boca fechada, o único que revida alguma coisa é o Guerreiro, com ele ninguém se mete.

    Guilherme vinga. E se vacilar... sei não hein... tem time pra ser campeão ou tá cedo?

    Pai Vavá... esse conhece. hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Giba e sua costumeira sutileza... "Penteadeira de puta" foi da hora! rs

      De fato, tem hora que precisa descer do altar do fair play um pouco e botar ordem na casa. O time do Adenor parece formado por coroinhas. Saudades do Rincón, nessas horas...

      E desde 2010 que o Corinthians tem, todos os anos, "time para ser campeão". Se vai ser é outra história.

      Excluir
  4. se me permitem, achei bonita a camisa azul.
    li em algum lugar, alguem do marketing do Corinthians afirmando que a terceira camisa é justamente a que costuma vender mais. é disso que se trata afinal, grana, me parece justo.

    mesmo na questão da tradição; não serve justamente para deixarem o outros dois uniformes imaculados (apesar que nem assim). até mesmo o Barcelona (exemplo para tudo que é bom e correto para as trajanetes) tem uns uniformes bem esquisitos.

    gostei desse, assim como gostei muito daquele do São Jorge...

    acho apenas que NUNCA deveriam modificar NADA dos outros dois uniformes.
    (especialmente o segundo que é o meu preferido e o mais maltratado)

    -----------------
    o azul nao celebra uma derrota mas a "Seleção".
    então, o mais importante...
    a Seleção ou a Caixa ? (polemica muito discutida pela internet)
    o que pensam ?

    (Pedro)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, havia deixado para responder somente hoje, mas o comentário do João Luís, logo abaixo, representa tão precisamente minha opinião sobre o tema que considero desnecessário.

      Quanto a essa polêmica devido ao azul ser a cor oficial do patrocinador, creio que não passe de coincidência. A camisa azul, ao que parece, estava definida para 2013 antes mesmo do lançamento da camisa cinza, ano passado - quando ainda sequer imaginávamos o contrato que viria a ser firmado com o banco, portanto.

      Excluir
  5. Acho que o Pedro citou um argumento valido. A terceira camisa serve justamente para que se mantenha as duas camisas tradicionais intactas. Nesse aspecto a iniciativa e valida, so faltou explicar essa lógica para a diretoria, que tem zuado mesmo assim os dois uniformes principais (fico puto cada vez que voltam com a tal camisa inteira preta).

    Alem de outro detalhe que acaba sendo negligenciado: terceira camisa, ate onde eu sei e para amistoso, nunca para jogos oficiais (evitando-se assim a hipotética e bizarra situação de um jovem torcedor daqui a dez anos assistindo a alguma restrospectiva de campeonato vencido pelo Timao, perguntando que time de azul e aquele... show de horror...)

    Outro problema que eu vejo e a constante mudança de cores atreladas a temas forcados, de pouco ou nenhum apelo, banalizando bastante a ação. Na minha opinião o ideal seriam mudanças sutis, detalhes em cima de uma mesma lógica, a ponto de haver uma "tradição temporária" ilustrando um certo espirito de época do clube. Sem temas, replicas, ou homenagens. A terceira camisa seria bonita e ponto.

    E claro, algo que nem precisaria ser mencionado, mas sempre e bom reforçar: nada de homenagear nossos rivais com a adoção das cores verde ou rosa no terceiro uniforme...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito!!! Esse comentário me representa, hahaha!

      Excluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.