sábado, 3 de agosto de 2013

Missão cumprida!



Destaque na campanha do Figueirense em 2007, Chicão chegou ao Corinthians no ano seguinte como um dos principais pilares da reconstrução capitaneada por Mano Menezes. 
Eram tempos bicudos no Parque São Jorge. O maior time do Brasil, vitimado por anos de desmandos e tiranias, havia acabado de cair para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro e viveria, pelos próximos 12 meses, a pior humilhação de sua gloriosa história.

E Chicão não se intimidou. Mais que isso, aliás: ao lado de Alessandro, Douglas, Willian Capita, Cristian, Elias, Dentinho, Herrera e outros guerreiros, reconduziu brilhantemente o Coringão ao lugar de onde ele jamais deveria ter saído. 

Roído o osso, era chegada a hora de, finalmente, saborear o filé. De 2008 para cá, foram nada menos que sete títulos conquistados com a camisa do Timão, com direito a Paulistão, Libertinha, Mundial e Recopa invictos, além de Brasileirão e Copa do Brasil.

Em cinco anos e meio, Chicão construiu uma linda história no Parque São Jorge. 

Infelizmente, porém, o futebol é cíclico. Com 32 anos, já sem o mesmo gás dos áureos tempos, Chicão dificilmente recuperaria a titularidade na equipe do Seu Adenor - principalmente agora, com a chegada do jovem Cléber, recém contratado junto à Ponte Preta.
Como fã declarado do camisa 3, ainda acho que ele poderia ter renovado por mais dois anos, brindando-nos com  a segurança de termos um beque de seu calibre entre os suplentes. Mas compreendo que o profissional Chicão tenha ambições de titularidade; que almeje novos desafios; que queira reeditar a vitoriosa parceria com Mano Menezes e - quem sabe? - ajudar a organizar a, hoje, frágil zaga do Flamengo.

Boa sorte em sua nova missão. Aqui, ela foi cumprida com louvor.

Valeu Chicão!


Atualização (04 de agosto, 12:50h)


Pollyanna mode off: foi cachorrada o que fizeram com ele! Novidade alguma, aliás. É o Corinthians, como sempre, maltratando seus ídolos...

10 comentários :

  1. Tens razão Zé, durante um bom tempo Chicão encarnou a espirito do Timão e reconhecia-se neste grande jogador a raça Corintiana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Começou com ele a já tradicional solidez defensiva que, desde 2008, demonstramos...

      Excluir
  2. Quase ao mesmo tempo em que o Chicão chegava ao PSJ, o Vila Sonia recebia o zagueiro Juninho do Botafogo. Ambos faziam gols de bola parada. A mídia esportiva logo atestou que o clube exemplar fazia a melhor contratação. O tempo provou o contrário. O tempo passou e Chicão conquistou o respeito da torcida. Teve um momento crítico em 2011 quando perdeu a posição de titular para o Paulo André. Um ano depois, deu a volta por cima, sendo campeão do mundo e não fazendo a torcida não sentir falta de Leandro Castán. Eu o manteria no elenco, mas se ele achou melhor mudar de ares, que seja feliz, exceto em dois jogos do campeonato.
    (Múcio Rodolfo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida: é só não bater de frente que torcerei por ele! :-)

      Excluir
  3. De 1998 pra cá, Gamarra e Chicão foram os melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina essa zaga, Alessandro? Passaria nem pensamento...

      Excluir
    2. Se fosse Gamarra e Gil... atacantes seriam repelidos a 1 metro de distância, tipo "campo de força"

      Futebol é bussiness e Chicão não tem mais espaço no time, essa é a verdade. Que seja feliz no Mengo. Aliás, o Elias poderia voltar pra fazer sombra pro Guilherme, hein?

      Excluir
    3. Elias para "fazer sombra pro Guilherme"?? É... realmente, nós estamos um "nojo", Giba! rs

      E "campo de força" foi sensacional!!!

      Excluir
  4. Nossa Zaga é a melhor do brasileirão e tem apenas a metade dos gols sofridos pela segunda melhor, mas eu como um bom corinthiano e fã do Chicão também acho que poderia ter melhorado o poder defensivo, o ataque e as cobranças de faltas....

    Mas, depois de ler várias materias e assistir entrevistas eu acabei entendendo os dois lados. A diretoria está certa em se planejar para o futuro, e liberar o jogador que provavelmente seria banco até se aposentar.... E o Chicão está certo em encerrar a carreira jogando de titular porque ele merece....

    Eu desejo sorte a ele pra aproveitar esse momento ao lado do Mano Menezes o mais rápido possível, porque é mais fácil 'chover pra cima' do que o mano terminar o ano no flamerda a organização lá é de outro mundo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No dia em que o ciclo do Seu Adenor se encerrar, eu queria o Mano de volta.

      Na verdade, eu queria mesmo era o Parreira (e, por ele, eu encerraria o ciclo do Tite hoje mesmo, unilateralmente, haha), mas o tiozão se recusa a "despendurar" as chuteiras...

      Excluir

Comentários ofensivos ao Coringão serão DEMOCRATICAMENTE excluídos, sem exceção. Noves fora, a palavra é sua.