quinta-feira, 31 de março de 2016

VAI TER LUTA!


Hoje, às 17h, nos arredores do Metrô Liberdade, a moçada do Coletivo Democracia Corinthiana promoverá um "esquenta" para o Grande Ato em Defesa da Democracia - que acontecerá a poucos metros dali, na Praça da Sé.

Estarei lá, e aproveito para convidar a todos os irmãos e irmãs de Corinthianismo que se identificam com a causa para que também compareçam. 

Vamos chegar à Sé fazendo barulho! E que, por mais uma vez, as listras de nossa camisa cumpram seu destino histórico, enquanto símbolo de luta e resistência popular!

NÃO VAI TER GOLPE!!!

E vai, Corinthians!


Segue a íntegra do manifesto:


Manifesto do Coletivo Democracia Corinthiana

1) A cultura da corrupção deve ser vigorosamente combatida. Ela atrasa o crescimento econômico, prejudica a atividade empreendedora, promove a injustiça e, por fim, tira o pão da mesa dos trabalhadores mais humildes.
2) A luta contra a corrupção, porém, não pode se transformar em pretexto para perseguições políticas. Shows midiáticos não auxiliam a construção da Justiça.
3) É inadiável o aprofundamento das investigações que visam a punir aqueles que lesaram a maior empresa do Brasil, a Petrobras.
4) É necessário, no entanto, que os agentes da lei sejam justos. Se há energia contra os vermelhos, que se repita a atitude contra os azuis.
5) Procuradores e magistrados devem se empenhar também em defender o povo contra aqueles que delinquiram em Furnas, no Banestado, no Rodoanel, no metrô paulistano, na CPTM ou nas cozinhas escolares que tiveram surrupiada a merenda.
6) Não se pode admitir que a pauta do Congresso Nacional seja travada por um elemento como Eduardo Cunha, cujo braço da lei parece jamais alcançar.
7) Não há base legal e moral para o pedido de impeachment da presidenta Dilma. E este golpismo permanente é o principal componente da crise econômica que nos assola.
8) A interrupção do processo democrático é objetivo das forças conservadoras, as mesmas que atiraram o país nas sombras durante a Ditadura Militar. É também interesse dos oligopólios mercantis transnacionais, que pretendem se apossar de nossas ricas fontes de recursos naturais.
9) O Coletivo Democracia Corinthiana, enquanto grupo, não apoia qualquer partido ou figura política. Não representa oficialmente o Sport Club Corinthians Paulista, tampouco qualquer de seus dirigentes. Jamais recebeu ou receberá qualquer benefício financeiro como prêmio por suas ações em defesa da democracia.
10) O Corinthians nasceu dos trabalhadores, em 1910, como referência da luta por liberdade, fraternidade e direitos universalizados. É nosso ethos, o mesmo expresso na trajetória da Democracia Corinthiana, que contribuiu decisivamente para a redemocratização do país. O Corinthians é o time do povo; e o povo tem o direito e o dever de fazer sua própria história.